Sobre os Queen          Cronologia          Discografia          Freddie Mercury          Brian May          Roger Taylor          John Deacon

QUEEN ON FIRE - LIVE AT THE BOWL

“A maior parte de vocês já sabe que lançámos alguns sons novos na semana passada. Fizemos algumas canções na categoria funk/rock – ou o que quiserem chamar-lhe. Isso não significa que perdemos o nosso espírito rock’n’roll, OK? Afinal é só mais um disco! As pessoas ficam tão exaltadas com estas coisas. Só queremos experimentar alguns sons novos…”
Freddie Mercury

Estas foram as palavras de Freddie logo no início do concerto realizado em Junho de 1982, a propósito da agitação que o álbum Hot Space causara ao ser lançado duas semanas antes, tanto no Reino Unido como nos Estados Unidos. O álbum recebeu críticas muito diversas de todos os quadrantes. Alguns consideraram que os Queen tinham ido demasiado longe com esta incursão no género funk/rock, enquanto outros a receberam bem, tal como já tinham feito com Another One Bites The Dust, dois anos antes.

Apesar das críticas contrastantes, muitos fãs gostaram do novo álbum, que atingiu o 4.º lugar nas tabelas do Reino Unido, em Maio de 1982. Under Pressure, o primeiro single, lançado seis meses antes do álbum, invadiu as tabelas britânicas até chegar ao primeiro lugar, tendo sido um enorme êxito internacional. Os Queen estavam decididamente de regresso à ribalta.

1982 foi um ano muito preenchido na carreira da banda e, assim que o álbum foi entregue à EMI, os Queen iniciaram uma longa digressão pela Europa. Começando na Suécia, em Abril, e terminando com este concerto ao ar livre em Milton Keynes, a 5 de Junho, a digressão incluiu 30 espectáculos em nove cidades, distribuídos por 22 locais diferentes. Os Queen passaram pela Noruega, Suíça, França, Bélgica, Holanda, Alemanha, Áustria, Escócia e Inglaterra, e podiam ainda ter incluído mais alguns locais emblemáticos no Reino Unido se tudo tivesse corrido como planeado. A banda fizera algumas propostas para tocar nos estádios de futebol do Manchester United e do Arsenal (Old Trafford e Highbury), mas foram todas recusadas. O concerto planeado para Manchester foi substituído por outro em Leeds, a 29 de Maio, e esta actuação, no Milton Keynes Bowl, substituiu a que estava prevista par ao estádio do Arsenal. Os planos para o concerto no Albert Hall foram também abandonados, por receio de que o famoso tecto daquela grande sala pudesse ceder com o peso do imenso equipamento de luzes dos Queen.

Além das habituais canções preferidas do público, os espectáculos incluíam agora novas faixas do álbum Hot SpaceAction This Day, Staying Power e Back Chat. Under Pressure já tinha sido incluída nos dois concertos realizados no Canadá, seis meses antes. Outros temas do álbum viriam a integrar o alinhamento em espectáculos posteriores desta mesma digressão – Put Out The Fire, Calling All Girls, Life Is Real –, mas não estiveram presentes nos concertos europeus.

Os Queen raramente tocavam ao vivo durante o dia, preferindo entrar em palco no meio de um clarão de luzes e fumo. Este concerto é uma dessas raras ocasiões, como o próprio Freddie comentou com o público logo no início: «Boa tarde a todos. Vocês sabem que nós não costumamos tocar de dia. Mas oxalá já o tivéssemos feito! Agora consigo vê-los a todos – e posso dizer que esta noite estão cá algumas beldades».

Um preâmbulo de piano tocado por Freddie antecede Somebody To Love, numa das melhores interpretações deste tema alguma vez gravadas. Depois de uma nota aguda particularmente complicada, que executa na perfeição, Freddie vira-se para o público e sorri: «Estão prontos? Hã? Estão prontos, irmãos e irmãs?» Um «sim» entusiástico ecoa da vasta audiência e a canção arranca em toda a sua força. Eis os Queen – e sobretudo Freddie – no seu melhor.

O concerto foi filmado por Gavin Taylor e, posteriormente, foram emitidos alguns destaques no programa musical «The Tube», do canal britânico Channel 4, que, depois disso, foi transmitido inúmeras vezes e amplamente pirateado. Por fim, em 2004, o espectáculo surgiu em toda a sua glória original em CD e DVD, incluindo som surround 5.1 – uma experiência audiovisual de cortar a respiração.

Gravar este concerto não foi tarefa fácil, porque, em vários temas, Freddie arriscava a sua integridade física e até mesmo a vida, ao pendurar-se de forma instável na estrutura do palco, ou atravessando-o a correr a uma velocidade estonteante antes de se atirar para o piano. Freddie passa todo o espectáculo nestas aventuras, mostrando uma energia ilimitada. A banda ficou tão impressionada com o trabalho de realização de Gavin Taylor, que voltou a convidá-lo para supervisionar as filmagens dos concertos no Estádio de Wembley, em Julho de 1986 (que também surgiriam em DVD alguns anos mais tarde).

Este concerto fantástico decorre a um ritmo surpreendente e percorre vários álbuns e êxitos bem conhecidos dos Queen, deixando o público quase tão exausto como Freddie. «Sinto-me completamente estafado!», confessa, depois de se arrastar de um lado para o outro como uma boneca de trapos.

O espectáculo aproxima-se do fim com Bohemian Rhapsody e Tie Your Moher Down, seguidas de Another One Bites The Dust como encore. Um outro tema frenético, Sheer Heart Attack, arranca a um ritmo alucinante antes de o grupo abandonar o palco, para depois regressar com We Will Rock You e We Are The Champions. E então, mais uma vez, o espectáculo e a digressão terminam.

Freddie: «Obrigado. Boa noite a todos. Vocês foram muito especiais. Obrigado por terem estado connosco nestes últimos dez anos. Ei! Estamos muito gratos. Boa noite. Muito obrigado».

Queen On Fire – Live At The Bowl foi lançado a 25 de Outubro de 2004 no Reino Unido. O CD duplo alcançou o 20.º lugar das tabelas britânicas, enquanto o DVD (com vários extras) subiu ao 1.º lugar. O DVD também chegou ao topo das tabelas na Áustria, Bélgica, Itália, Alemanha, Suécia e Japão.

Brian (sobre os espectáculos da banda ao vivo): «Fazíamos algo completamente fora de moda ao sermos conscientemente visuais. Sentíamos que, quando se está em palco, tem-se, de facto, uma espécie de audiência cativa por algum tempo, e é preciso usar tudo o que está ao nosso alcance para chegar até ela. Para lhe oferecer uma experiência inesquecível Este foi sempre o nosso objectivo. Não queríamos apenas entreter as pessoas; queríamos deixá-las totalmente deslumbradas».

​Disc 1
1 - Flash  (Brian May)
2 - The Hero  (Brian May)
3 - We Will Rock You (fast)  (Brian May)
4 - Action This Day  (Roger Taylor)
5 - Play The Game  (Freddie Mercury)
6 - Staying Power  (Freddie Mercury)
7 - Somebody To Love  (Freddie Mercury)
8 - Now I'm Here  (Brian May)
9 - Dragon Attack  (Brian May)
10 - Now I'm Here (reprise)  (Brian May)
11 - Love Of My Life  (Freddie Mercury)
12 - Save Me  (Brian May)
13 - Back Chat  (John Deacon)

​Disc 2
1 - Get Down, Make Love  (Freddie Mercury)
2 - Guitar Solo  (Brian May)
3 - Under Pressure  (Queen & David Bowie)
4 - Fat Bottomed Girls  (Brian May)
5 - Crazy Little Thing Called Love  (Freddie Mercury)
6 - Bohemian Rhapsody  (Freddie Mercury)
7 - Tie Your Mother Down  (Brian May)
8 - Another One Bites The Dust  (John Deacon)
9 - Sheer Heart Attack  (Roger Taylor)
10 - We Will Rock You  (Brian May)
11 - We Are The Champions  (Freddie Mercury)
12 - God Save The Queen  (arr. Brian May)

Queen Portugal

© 2011 - 2020 - Queen Portugal - Portal da Comunidade de Fãs Portugueses dos Queen