A bondade de Freddie Mercury revelada numa história de Gary Numan envolvendo um Big Mac em Tóquio


Na sua recente autobiografia, (R)evolution, Gary Numan compartilhou histórias incríveis dos seus mais de 40 anos de carreira, incluindo um destaque particular de quando ele partilhou uma noite memorável com os Queen em Tóquio.


O músico de 'Cars' viu-se sem nada para fazer no Japão e comprou um bilhete para assistir a um concerto dos Queen. “O que eu não percebi é que havia me tornado muito bem-sucedido no Japão”, disse Gary. “Eu só fui grande na Grã-Bretanha por um ano ou mais ... nunca me ocorreu que isso seria um problema no Japão.”


“No final (do concerto dos Queen), o staff teve que me resgatar e levar-me para os bastidores. Eu conheci a banda e expliquei-lhes o que tinha acontecido e eles colocaram-me sob sua proteção.” Após o concerto, os Queen convidaram Gary para jantar num famoso restaurante de sushi. No entanto, Gary explicando que tem "gostos muito simples", realmente não queria comer sushi, mas não queria causar chatices com a comitiva.


“Depois de algum tempo”, disse Gary, “Freddie Mercury aproximou-se e disse: 'Amor, você não está a comer, qual é o problema?' Não te preocupes comigo, estou felicíssimo de estar aqui, sou um grande fã dos Queen. '


"Ele perguntou-me o que eu gostaria de comer, e eu disse:‘ McDonald's ... mas não te preocupes, vou comer um depois ’.”


"De qualquer forma, uns 15 minutos depois, uma limusine apareceu do lado de fora e o motorista saiu com um saco do McDonald's! Freddie deu uma palavrinha ao gerente, deu-lhe uns ienes e ali estou eu – a comer McDonald's num dos melhores restaurantes de sushi em Tóquio com os Queen! "Fiquei fascinado com eles, mas eles eram pessoas adoráveis ​​e realistas."


Gary acabou tornando-se num bom amigo do Roger Taylor, com quem veio a trabalhar num álbum da lenda da eletrónica. Revelou ainda que conheceu a banda como um fã de 16 anos à porta do palco do Rainbow Theatre, no Finsbury Park de Londres, na década de 70.

“Outras bandas corriam sempre para as limusines e ignoravam toda a gente”, disse ele, “mas os Queen eram diferentes. Eles convidaram todos para o camarim, conversaram com todos e autografaram tudo. Foi uma lição sobre como tratar aqueles que nos apoiam - sempre tentei imitar isso sempre que possível. ”



Fonte: Smooth Radio