Queen The Greatest | EP 18: Cracking America - Crazy Little Thing Called Love


Queen The Greatest: uma celebração de 50 dos maiores momentos da história dos Queen até agora. Uma série de 50 semanas no YouTube que celebra os momentos-chave da história dos Queen lembrando-nos o porquê da banda E da sua música continuarem a ser amadas em todo o mundo.


"Fred escreveu a música na banheira em cerca de dez minutos." - Roger Taylor

Tributo de Freddie a Elvis.” - Brian May

À medida que os anos 70 chegavam ao fim, uma mudança de cenário e uma música escrita em dez minutos por Freddie no banho entregou finalmente aos Queen o número 1 na América.


O Queen The Greatest desta semana, celebra aquela talvez seja uma das gravações mais simples dos Queen, mas sem dúvida um dos seus sucessos mais notáveis​... Crazy Little Thing Called Love, a 'homenagem a Elvis' de Freddie.


Em 1979, e depois de sete álbuns, os membros da banda sentiram que, para se manterem atualizados e estimulados, era tempo de mudar a maneira como abordavam as suas gravações de estúdio. Era o início de um relacionamento duradouro com o produtor alemão (Reinhold) Mack, acompanhado pelo fascínio de Freddie pela cidade de Munique, onde moraria entre 1979 e 1985 e onde faria a sua, agora famosa, festa do seu 39.º aniversário.


Brian May: “Ouvimos dizer que havia um ótimo estúdio chamado Musicland em Munique, e ouvimos que havia um grande engenheiro chamado Mack, iniciamos assim essa forma meio indulgente de simplesmente entrar no estúdio sem ideias, ou com muito poucas ideias, começando apenas do zero. (...)"


Roger Taylor: “A primeira coisa que fizemos foi Crazy Little Thing, o Fred escreveu a música na banheira em cerca de dez minutos.


Brian May: “É a homenagem de Freddie a Elvis, de certa forma, ele gostava muito de Elvis e de Cliff (Richards) (...). Eu acho que os sons que o Mack conseguiu obter, esses sons muito elementares, reais, muito reais, sons ambientes no estúdio tiveram uma grande contribuição a dar. Soa muito autêntico, tudo nela é uma espécie de som rock and roll original.


Brian May: “Esse foi o primeiro número um em toda a linha na América, Billboard, Cashbox e Record World, acho eu.


Roger Taylor: “Nós ainda estávamos a fazer o álbum, não o tínhamos terminado, estávamos a ir para Munique e alguém veio e disse 'oh, atingiu o primeiro lugar na América', e nós a caminho 'Isso! Mais bebidas!'


Além de liderar os tops dos EUA, a canção também ocupou o primeiro lugar na Austrália durante umas incríveis sete semanas, e alcançou o número 2 no Reino Unido.


Freddie referia-se frequentemente à simplicidade da música pelo facto de ele só saber tocar três acordes e, enquanto tocava guitarra acústica na gravação de estúdio, Brian trocou a sua famosa Red Special por um guitarra Fender afim de garantir o autêntico estilo rockabilly.


Além de ser um sucesso estrondoso nos tops, o tema tornou-se também num grande momento ao vivo dos Queen.


Próxima semana: 1980: Another One Bites The Dust



Fonte: Queen Online