Brian May anuncia o relançamento de Too Much Love Will Kill You


Brian May anuncia o relançamento do seu single Too Much Love Will Kill You antes do lançamento remasterizado do álbum Back to the Light no próximo dia 6 de Agosto. Foi igualmente lançado o vídeo remasterizado do tema.


“De certa forma, é a música mais importante que já escrevi.”

Lançado dia 30 de Julho de 2021 - assista e ouça aqui


Com o seu vocal vulnerável, tons suaves, um solo de guitarra acústica discreto e uma melodia indelével, Too Much Love Will Kill You é um dos destaques do álbum solo de Brian May de 1992, Back to the Light. Brian refere-se a ela como "de certa forma, a música mais importante que já escrevi".


Too Much Love Will Kill You surgiu originalmente como single a 24 de Agosto de 1992, e chegou a alcançar o 5.º lugar no UK Singles Chart. Antes desse lançamento, um Brian visivelmente emocionado fez uma pré-estréia, do tema, diante de cerca de 72 000 fãs no Freddie Mercury Tribute Concert ocorrido no Estádio de Wembley a 20 de Abril de 1992.


“A minha desculpa para cantá-la é, eu acho, ser apenas a melhor coisa que tenho para oferecer”, disse Brian May, na sua introdução em palco à música. A sua razão para cantar o tema não foi, como muitas vezes se pensava, que ele tenha escrito a música sobre Freddie Mercury. A música em si remonta a 1986-7, quando Brian a escreveu com dois amigos, os compositores Elizabeth Lamers e Frank Musker. Brian estava em Los Angeles na época, “longe de casa” e num “estado de espírito confuso”, tentando livrar-se de um período de profunda convulsão pessoal.


Como Brian explica: “Too Much Love Will Kill You é uma grande e longa história e a versão que se ouve em Back to the Light é a original. Tem o teclado original que eu toquei quando estávamos a escrever a música. Eu e Frank Musker, e a sua amiga na época, estávamos numa sala e foi como uma sessão de terapia para mim. Eu estava apenas a despejar todas essas palavras porque me senti como se estivesse preso. Eu estava num lugar do qual nunca, jamais poderia sair. Tudo o que pude fazer foi escrever sobre isso. Esta é a única música que escrevi naquele período de provavelmente nove meses ou um ano. ”


Ao escrever sobre isso, Brian colocou tudo em risco. “A dor vai-te enlouquecer”, canta. E embora as suas letras tenham origem num período da sua vida, é essa honestidade muito específica que lhes dá um poder universal. Certamente, para Brian, as palavras mantêm a sua repercussão há anos. “As coisas contra as quais eu luto ainda estão lá. ‘Too Much Love Will Kill You’ é uma crônica do que está realmente enterrado dentro de mim. Cada palavra, conforme ouço agora, conta para mim. Cada palavra que eu ainda estaria à espera. É exatamente como eu sou por dentro. Eu digo 'sou' no tempo presente porque cheguei à conclusão de que não mudei muito. É a única oportunidade que tive na vida de contar como vi. De certa forma, é a música mais importante que já escrevi porque resume a jornada da vida para mim.


O poder pessoal da música decorre em grande parte da restrição de Brian no arranjo. Como ele reconheceu, uma música tão forte no sofrimento pessoal precisava ser fiel à voz do seu criador, sem enfeites indevidos. “A versão que fiz está ancorada na fonte. Não há nada lá que não fale apenas sobre a emoção da escrita original. Não há nenhum ponto no original onde a bateria entra em ação e se torna grande. Nunca chega lá. É tudo provisório e bastante delicado. E a emoção crua da maneira como canto é a maneira como me sinto. Eu escrevi, eu sinto.


E, no entanto, Brian sabia e entendia que o público também sentia isso. Muitos fãs dos Queen levaram isso a sério como uma música conectada a Freddie. Enquanto isso, os próprios Queen levaram isso a sério. Uma outra versão foi gravada em 1989 com o vocal de Freddie, que mais tarde viria à tona em Made In Heaven, o álbum dos Queen concluído após a morte de Freddie e lançado em 1995. Too Much Love Will Kill You foi lançada como single no ano seguinte, a gravação dos Queen rendeu um Prêmio Ivor Novello de Melhor Canção Musicalmente e Liricamente, um testemunho do poder duradouro de uma canção forte o suficiente para crescer além das suas origens e manter-se sobre as suas próprias pernas.


“Eu amei trabalhar com o Freddie para fazer aquele vocal. Estávamos cientes de que a música se estava a tornar em algo diferente e significar algo diferente. Todos nós estávamos cientes disso. Exceto por um milagre, obviamente sabíamos que os dias de Freddie eram provavelmente limitados. Então a música começou a parecer algo diferente. E não nos esquivamos de torná-la muito grande, muito parecida com um tema dos Queen. E eu gosto.


"Mas quiser ouvir o que originalmente foi colocado na canção, com o sangue, suor e lágrimas da minha vida, então esta é esta versão."


Out of the Light, o lançamento complementar disponível no conjunto Back to the Light box e nos formatos de 2CD e digital, apresenta duas leituras alternativas deste tema, uma versão de guitarra e uma versão ao vivo gravada no The Palace Theatre, em Los Angeles, a 6 de Abril de 1993 .


Too Much Love Will Kill You está disponível para download e stream a partir de hoje, dia 30 de julho.


A reedição remasterizada de Back to the Light de Brian May estará disponível dia 6 de Agosto em CD, Vinil, Cassete, download digital e formatos de streaming e pode ser pré-encomendada em: https://BrianMay.lnk.to/BackToTheLight



Fonte: Queen Online