Queen The Greatest | EP 23: Os Queen abalam a América do Sul


Queen The Greatest: uma celebração de 50 dos maiores momentos da história dos Queen até agora. Uma série de 50 semanas no YouTube que celebra os momentos-chave da história dos Queen lembrando-nos o porquê da banda E da sua música continuarem a ser amadas em todo o mundo.


"Hmm, vai ser, vai ser preciso muita coragem para lá entrar." - Roger Taylor

Depois do seu enorme sucesso na América do Norte, os Queen são convidados a aventurar-se em novos territórios e a andar em digressão pela América do Sul.


Esta digressão acabou por ser um dos maiores desafios que já tinham encontrado - mas a resposta do vasto e entusiástico público estava além do que pudessem imaginar.


Freddie Mercury comentou : "Eles não nos deixavam ir à Rússia; eles achavam que iriamos corromper a juventude ou algo assim... Então fomos para a América Latina. Queríamos tocar onde o Rock ainda não tinha sido tocado."


O Queen The Greatest desta semana recua a 1981, a uma das maiores e mais inovadoras tours na historia dos Queen: o momento em que abalaram a América do Sul, e ao fazê-lo, forjaram um elo duradouro entre a banda e um público que se mantém um dos mais leais.


Brian May: "A América do Sul levantou a sua cabeça e ouvimos rumores que eramos os maiores na Argentina e Brasil, e eles começaram a pedir-nos para la ir. E diziam 'podem tocar em estádios de futebol lá' e ficámos 'oh, estão a brincar."


Manager Jim Beach: "Naquela altura, durante a ditadura na Argentina, nós estávamos a negociar com o General das forças armadas e ele disse-me 'como é que posso autorizar 50 000 jovens a entrar num estádio quando não os posso controlar. O que acontece se alguém subitamente gritar "Viva Peron" no meio de um concerto de Queen e tivermos um motim em mãos?'' E eu tentei explicar-lhe que ao contrário dos confrontos de gladiadores em Roma, isto era um remédio para as pessoas. Eles nunca tinham tido isto antes, isto seria uma experiência extraordinária."


Roger Taylor: "Os preparativos para a viagem foram muito assustadores, como vocês sabem, conduzir da maneira errada pela autoestrada com batedores, com pessoas em grandes jipes a acenar com as suas grandes armas e com os carros a seguir contra eles para encostarem."


Já Freddie levou a experiência de um modo mais casual.


Entrevistador: "Freddie como te sentes ao ir tocar e cantar para 200.000 pessoas?" Freddie Mercury: "Ainda não o fiz".


Roger Taylor: "Lembro-me de estar nervoso na primeira noite, a parte de cima levava 80 000 pessoas e nós estamos numa espécie de abrigo onde estariam normalmente as equipas de futebol. Todas as janelas estavam partidas e lembro-me de pensar" 'hmm, vai ser, vai ser preciso muita coragem para lá entrar' ".


John Deacon: "Todos os concertos na Argentina foram em estádios de futebol, e eles estavam muito preocupados que o relvado fosse danificado, porque é tipo um solo sagrado, o relvado do estádio. E lembrámo-nos de cobrir o relvado com relva artificial e eles concordaram, porque se havia algo que queríamos muito era ter bastabte gente no relvado."


"Montámos o palco numa ponta. Eles estavam felizes por ter pessoas nas bancadas, mas nós insistimos em também ter pessoas no relvado para dar uma boa atmosfera ao espetáculo." (...) Oh foi formidável, foi o mais perto de ir realmente a uma partida de futebol, foi esse o tipo de reação. Eles foram tremendamente entusiásticos, quer dizer, eles foram bastante entusiásticos, cantaram em inglês também, e faziam 'woh, woh, woh, woh', todos os cânticos e tudo" - John Deacon.


Apesar do nervosismo inicial, e do grande trabalho a nível logístico, a primeira digressão pela América do Sul foi um grande sucesso e deixou uma impressão marcante na banda e no seu público.


Os Queen iriam regressam em 1985 para uma da suas performances mais memoráveis de sempre - mas isso é uma história para outro episodio de Queen The Greatest.


Próxima Semana - 1981 : Under Pressure



Fonte: Queen Online