The Game e a consolidação dos Queen como uma das melhores bandas do mundo


(fotografia de Neil Preston)


The Game, o oitavo álbum dos Queen, lançado em a 30 de Julho de 1980, foi o primeiro trabalho da incluir sintetizadores, um trabalho exemplar, com uma série de grandes e magníficas canções.


Desde o rock de Need Your Loving Tonight, passando hard rock de Dragon Attack, The Game tem ainda os ares de new wave em de Rock It (Prime Jive) e baladas ao mais puro estilo dos Queen como são Sail Away Sweet Sister e Play The Game.


No entanto todo o álbum é baseado na sombra de duas canções, Crazy Little Thing Call Love e Another One Bites The Dust. A primeira é uma homenagem perfeita a Elvis Presley, com um som que evoca os anos 50 acompanhado por um belo solo de guitarra de Brian May. Enquanto a segunda é uma música basilar na história do grupo. Foi o terceiro single do álbum e liderou as tops mundiais, incluindo os Estados Unidos. Escrito por John Deacon, contém uma linha de baixo que se transformou num clássico na história da música.


Como este álbum os Queen entraram em força no mercado americano, a banda liderava os tops de álbuns mais vendidos. Além disso, Another One Bites The Dust concedeu ao grupo o seu segundo número 1 em singles mais vendidos naqueles anos. A música tocou em todas as discotecas das principais cidades do mundo. Ao mesmo tempo, foi uma inspiração para o som que se desenvolveu nos anos oitenta.


A partir desse momento, os Queen tornavam-se numa das bandas mais espetaculares do mundo. O grupo iniciou uma digressão mundial que percorreu grandes estádios. Com isso, a banda entrarava no chamado chamado “Arena Rock”, expressão muito popular nas décadas de 70 e 80, tendo os Led Zeppelin e os Rolling Stones como grandes expoentes.


Os Queen tornavam-se numa das bandas mais respeitadas no cenário musical. Estatuto que mantiveram ao longo do tempo. Sendo a sua apresentação no Live Aid, em 1985, considerada como o melhor espetáculo de rock história.

Fonte: A Queen Of Magic