top of page

Freddie Mercury: Assim era o seu Garden Lodge


Freddie Mercury

Na entrevista de Mary Austin, publicada pela Bloomberg, onde esta revelou que iria vender o Garden Lodge, Austin levou a repórter Sarah Rappaport numa tour pela propriedade onde residiu nos últimos trinta anos. Como esta refere, aquando da sua visita em meados de Fevereiro, a casa já se encontrava quase vazia mas era ainda possível notar a presença de Freddie Mercury no design e detalhes da propriedade. Abaixo deixamos-vos a descrição de Sarah da sua visita ao Garden Lodge, bem como um pouco de história sobre os seus proprietários.



O Garden Lodge fica logo a seguir à Cromwell Road, no coração de Kensington, mas é completamente privado, afastado da tranquila rua residencial e protegido por um muro de segurança de tijolo Eduardiano de 2,5 metros, encimado por uma vedação ainda mais alta, com câmaras à volta. A famosa porta verde exterior, que funcionava como um santuário para os fãs de Mercury que lhe escreviam mensagens, foi vendida no leilão da Sotheby's por 412 750 libras. Há outra porta protegida por um invólucro transparente.


Garden Lodge

Logo a seguir à porta encontra-se um jardim de inspiração japonesa com magnólias em flor, uma pérgola de madeira e um lago com carpas. Todo o efeito, uma vez dentro dos muros fechados, parece um retiro campestre, com os muros altos a bloquear o barulho das ruas. Não se sentirá como se estivesse apenas a 10 minutos a pé da popular Kensington High Street, no meio do centro de Londres.


"O Freddie tinha uma visão muito clara para o jardim. O que lhe veio à cabeça foram os Jardins de Quioto - ele queria recriar esse ambiente tranquilo", diz Austin, recordando algumas "memórias muito especiais" de almoçar com Mercury no exterior em dias de sol junto ao lago.



Garden Lodge

A propriedade tem oito quartos e a casa-estúdio de Mercury tem um impressionante exterior em tijolo. Uma vez dentro da entrada principal, à esquerda está o que o cantor chamou de sala japonesa, um dos dois principais espaços de convívio. Tem portas duplas que dão para o jardim e era o seu espaço de reflexão pessoal, diz Austin. "Sabíamos que não o devíamos incomodar quando ele lá estivesse."


O rés do chão também tem uma sala de jantar onde Mercury costumava organizar jantares, com menus planeados e planos de lugares escritos à mão, incluindo um espaço para o seu gato Oscar. Mercury estava incrivelmente envolvido na conceção da sala; até pintou ele próprio os padrões da parede.


Freddie Mercury

"Ele não conseguia que o decorador correspondesse às ideias que tinha na cabeça, por isso teve de o fazer ele próprio", diz Austin, acrescentando que Mercury fez um design com cor-de-rosa, verde e amarelo na parede.


Freddie Mercury

Freddie Mercury

A maior parte do rés do chão é ocupada pela sala de estar do estúdio, com o seu chão de madeira, paredes amarelas e lareira de pedra ornamentada. Nesta sala encontrava-se o piano de cauda Yamaha de Mercury, no qual ele escreveu Bohemian Rhapsody, vendido por 1,7 milhões de euros no leilão da Sotheby's. Austin lembra-se de ter empurrado o piano para diferentes pontos da sala com Mercury, tentando encontrar a disposição ideal aquando da sua mudança.


Freddie Mercury Piano

Esta era a sala principal de entretenimento, e há uma escadaria na extremidade da sala que conduz a uma área de bar no andar de cima, onde alguém que fosse buscar uma bebida podia observar a festa a decorrer em baixo. As suas janelas de dois andares enchem a sala de luz e têm vista para o amplo jardim e as suas árvores moldadas.


Austin diz que não foi a todas as festas dele, mas lembra-se de uma festa de chapéus que foi, nas suas palavras, "um pouco louca". "Ele desenhou um chapéu para toda a gente e mandou fazer todos", diz ela. "Ele dava-te um chapéu, ou podias escolher entre dois ou três, dependendo do que ele achava de ti nesse dia."


Freddie Mercury

(Festa de Aniversário de Freddie Mercury em Setembro de 1986)


Para além dos generosos espaços de entretenimento, o rés do chão tem uma casa de banho e uma cozinha - com eletrodomésticos modernos - afastada da sala de jantar. Há uma despensa discreta ao lado que tem servido de zona de entregas e, na altura da visita do repórter servia de local para os gatos de Austin dormirem.


No andar de cima, a suite principal de Mercury, composta por quatro partes, fica ao fundo de um corredor alcatifado com uma espessa carpete de cor creme. Quando se entra, está-se rodeado de espelhos do chão ao teto num quarto de vestir ao estilo art deco. As portas espelhadas escondem artisticamente os armários onde ele guardava as suas roupas, incluindo os seus famosos fatos de palco.


Garden Lodge

Ao lado do camarim encontram-se duas casas de banho completas, uma das quais com FM gravado no mármore. Logo à frente, portas de correr espelhadas abrem-se para o espaço do quarto, com um terraço com vista para o jardim e para os espaços tranquilos de Kensington.


Há um forte sentido de personalidade e de temporalidade em toda a casa, como o mármore rosa claro e a banheira verde numa casa de banho de hóspedes ou o toque teatral da sala de estar. Não é uma tela em branco, e isso é parte do que a torna tão especial.


Freddie Mercury

Os Antigos Donos:


Freddie foi, sem dúvida, o ocupante mais famoso de Garden Lodge, mas não foi a única pessoa criativa a viver lá. A propriedade Neo-georgiana foi construída no início do século XX como casa e estúdio do pintor Cecil Rea e da escultora Constance Halford.


Outros proprietários incluíam Peter Wilson, um antigo presidente da casa de leilões Sotheby's, e o agente dos serviços secretos britânicos que se tornou negociante de arte Tomäs Harris. É fácil imaginar as suas próprias festas em Garden Lodge, com artistas e espiões a misturarem-se na sala de estar do estúdio e as celebrações a espalharem-se pelo jardim.


Quando Mercury comprou a casa, esta era propriedade de um membro da prestigiada família de banqueiros Hoare. Antes da sua remodelação em amarelo citrino, a sala de jantar era onde guardavam o seu cofre. "O Sr. Hoare estava a mostrar-nos a casa e eu fiquei fascinada", diz Austin. "Ele disse: 'Oh, este é o cofre. O meu pai dorme sempre no banco e, quando não pode dormir no banco, traz o dinheiro todo para aqui.''"


Agora que a propriedade foi esvaziada da maioria dos pertences de Freddie, estar na casa lembra Austin de como era em meados dos anos 80, quando Mercury estava a trabalhar com o arquiteto e designer Robin Moore Ede para tornar a casa sua.


"Na verdade, revitalizámos a casa para que ficasse quase como era antes de ele ter trazido o seu piano e os seus pertences para aqui. A casa ficou pronta pelo menos um ano antes de ele se mudar para cá", diz Austin. "Eu vinha para cá trabalhar, vinha para cá supervisionar, ficava aqui a maior parte do tempo. E, de repente, vejo-me de volta a 1985."


Freddie Mercury, Mary Austin


Comments


bottom of page