Queen The Greatest | EP 43: We Will Rock You - The Rock Teatral


Queen The Greatest: uma celebração de 50 dos maiores momentos da história dos Queen até agora.


Uma série de 50 semanas no YouTube que celebra os momentos-chave da história dos Queen lembrando-nos o porquê da banda e da sua música continuarem a ser amadas em todo o mundo.


Mais de quatro mil e quinhentos aplausos de pé!


Brian May: "6 milhões de pessoas estiveram neste edifício para ver o espetáculo ao longo dos últimos dez anos, mas temos feito sempre coisas novas para o espetáculo, apenas mantendo-o vivo e em movimento, evoluindo."

Os Queen iniciavam o novo milênio em grande estilo, conquistando o West End de Londres com seu o musical - We Will Rock You, que continua a ser um fenômeno global.


O Queen The Greatest desta semana regressa para lembrar quando os Queen agitaram o West End de Londres com o lançamento de We Will Rock You.


Em Maio de 2002, o Dominion Theatre em Londres abriu pela primeira vez as suas portas a uma experiência teatral de rock totalmente nova, inteiramente dedicada à música dos Queen. We Will Rock You tinha sido amorosamente trazido à vida sob o olhar atento de Brian May e Roger Taylor, mas só foi possível graças à improvável parceria entre os Queen e uma lenda de Hollywood após um encontro casual no Festival de Cinema de Veneza.


Roger Taylor: "Tivemos uma série de guiões que nos foram dados, e Robert De Niro, estranhamente, interessou-se, veio de forma completamente inesperada, e disse que estava a iniciar a secção de teatro da Tribeca, a sua companhia, e ele gostaria que nós - isto - o nosso musical, fosse a sua primeira peça. Por isso, acabámos por co-produzir".


Outra parceria chave envolvia o estimado escritor de comédia, Ben Elton, para criar a história em que as canções de sucesso seriam enquadradas.


Roger Taylor: "E acabou por ser muito engraçado, bem como, vocês sabem, fazer algumas coisas que o Ben normalmente consegue encaixar em tudo o que faz. E por isso penso que é uma mistura muito boa de ter algo a dizer, ter uma espécie de história um pouco tola, mas muito engraçada e, esperemos, benéfica com toneladas e toneladas de êxitos".


Brian May: "É engraçado, e é também... tem uma espécie de lado sério, tem algo a dizer e penso que o fará... É melhor trazer também o seu lenço. Penso que há alguns, alguns momentos em que sentirá algo, algo bastante triste e sentirá algo bastante pessoal".


Brian May: "Muitas vezes fizemos alterações muito pequenas às letras e por vezes nenhuma alteração. E, de alguma forma, parecem ajustar-se incrivelmente bem à história. Agora, isto não é um acidente. Moldámos a história em torno das canções, e moldámos as canções em torno da história".


Brian May: "Não é apenas tipo, vamos atirar algumas canções para dentro de uma história. É muito mais, acho eu, levámos sempre o nosso trabalho muito a sério. Portanto, esta é uma tentativa genuína, se tu gostas de fazer algo que se mantenha como musical ao longo do tempo, talvez algumas pessoas no futuro se esqueçam que estas canções alguma vez tiveram uma vida noutro lugar. Não sei".


Previsivelmente, algumas das reacções da imprensa no início foram excessivamente duras, mas isso revelou-se irrelevante à medida que o público do teatro entrava em cena, dando ao espectáculo todas as noites ovações de pé, e acabando por torná-lo no espectáculo mais longo de sempre a tocar no Dominion Theatre - um feito extraordinário que foi marcado em 2012, quando as estrelas apareceram para uma actuação de gala celebrando o 10º aniversário do musical.


Sam Fox: "Oh, é fantástico que esteja em cena há dez anos, mostra o quão popular ainda é o rock and roll".


Chris Tarrant: "Eu estava aqui na primeira noite, adoro-o absolutamente".


Emma Thompson: "Já o vi cerca de 17 vezes".


Arlene Phillips: "Tragam mais dez anos".


Aldo Zilli: "Penso que vai durar para sempre. Dez anos não é nada".


Tim Minchin: "São canções dos Queen; vai durar para sempre, não vai?"


Ben Elton: "Há dez anos que nos divertimos e o público também, por isso estamos entusiasmados, absolutamente entusiasmados".


Brian May: "6 milhões de pessoas estiveram neste edifício para ver o espetáculo ao longo dos últimos dez anos, mas temos feito sempre coisas novas para o espetáculo, apenas mantendo-o vivo e em movimento, evoluindo".


Desde a sua noite de abertura no Dominion a 14 de Maio de 2002, We Will Rock You tornou-se rapidamente na escolha esmagadora do povo do Reino Unido e do estrangeiro. No seu segundo ano no Dominion, ganhou as melhores honras em cinco categorias nos prémios Theatregoers Choice, incluindo Melhor Novo Musical. Em 2011, nove anos após a primeira subida da cortina, o espectáculo ganhou o prestigioso Olivier Awards Audience Award, a única categoria votada inteiramente pelo público. O espectáculo continuou a ganhar uma série de prémios internacionais para produções em todo o mundo.


Quando o espectáculo encerrou no teatro Dominion, em Londres, a 31 de Maio de 2014, We Will Rock You tinha-se tornado no musical que ficou mais tempo no Dominion, cerca de nove anos, e encenado umas espantosas 4600 vezes. Assumindo o seu legítimo lugar na história do West End, o espectáculo situa-se orgulhosamente no Top 10 dos musicais mais longos de todos os tempos, com mais de quatro mil e quinhentas ovações de pé!


Também a nível internacional, o espectáculo tornou-se um fenómeno global, encenado em mais de vinte países e entretendo bem mais de 15 milhões de pessoas.


E hoje, vinte anos após essa noite de abertura, We Will Rock You continua forte em todo o mundo, e com uma nova digressão prestes a começar no Reino Unido, é evidente que os Queen irão agitar o mundo teatral durante muitas mais noites.


Próxima semana: Brian no Telhado



Fonte: Queen Online