Aproxima-se a The Rhapsody Tour


(Fotografia de: Bojan Hohnjec)


Os Queen + Adam Lambert preparam-se para a tão esperada The Rhapsody Tour 2022 no Reino Unido e na Europa


A jornada épica de trinta e seis datas começa em Belfast, sexta-feira, 27 de Maio, com paragem final em Tampere, Finlândia, 25 de Julho, incluindo dez datas no The O2 de Londres18:14 17/05/2022


Duas vezes adiada devido à pandemia de Covid-19, a tão esperada Rhapsody Tour by Queen + Adam Lambert está finalmente pronta para arrasar o Reino Unido e na Europa ao longo de oito semanas, desde o final de Maio atá ao final de Julho.


O espetáculo foi aclamado como “o mais recente surpreendente capítulo da história da maior banda de rock, dando um toque novo e altamente distinto em mais de cinco décadas de música dos Queen”. A digressão arranca no dia 27 de Maio, sexta-feira, com a primeira de duas datas consecutivas na SSE de Belfast.


Brian May, Roger Taylor, Adam Lambert e a banda apresentar-se-ão na AO Arena de Manchester nos dias 30 e 31 de Maio, passando para uma série de concertos na OVO Hydro de Glasgow nos dias 2 e 3 de Junho. A banda atuará dez noites no The O2 de Londres, pelo meio desse período haverão dois espetáculos em Birmingham na Utilita Arena a 11 e 12 de Junho respetivamente.


No total, a Rhapsody Tour verá os Queen + Adam Lambert realizar trinta e seis concertos em toda a Europa. Após uma espera de dois anos, o público finalmente terá a oportunidade de ver o novo épico espetáculo que atraiu admiração e aclamação na sua estreia na América do Norte em 2019 tornando-se num dos concertos mais concorridos daquele ano nos EUA. Os espetáculos serão as primeiras datas europeias da banda desde o enorme sucesso de bilheteria mundial que foi o filme biográfico Bohemian Rhapsody.

O novo espetáculo Rhapsody - elogiado como "uma maravilha de avanços técnicos" - estreou-se no em 2019, numa digressão norte-americana, seguindo para a Coreia do Sul, Japão, Austrália e Nova Zelândia em 2020, tocando para 75.000 pessoas em Sydney, Austrália, os Queen + Adam apresentaram-se no Fire Fight Australia, antes que a digressão fosse abruptamente interrompida pelos confinamentos mundiais sem precedentes ocorridos em Abril de 2020.


Sempre mestres de performances extravagantes e visuais suntuosos, a mais nova produção de Queen + Adam Lambert é novamente um trabalho do cenógrafo da Stufish Entertainment Architects, Ric Lipson, e do designer de iluminação Rob Sinclair. Ambos têm uma associação de longa data com os Queen, incluindo em 2017/18 aquando dos concertos da digressão inspirada no álbum News Of The World.


Lipson descreve a produção de duas horas e meia como "um novo capítulo na história da banda. Mais uma vez para eles expandirem os parâmetros do que uma experiência de música ao vivo pode ser, este novo espetáculo oferece o mais fantástico da banda, uma celebração inovadora e interativa do poder contínuo da música dos Queen".


Desde que Adam Lambert dividiu o palco com os Queen pela primeira vez na final do American Idol de 2009, as suas dinâmicas performances revigoraram a banda e encantaram os fãs em todo o mundo. O seu primeiro concerto completo juntos aconteceu em Junho de 2012 e emocionou uma multidão de meio milhão de pessoas na capital ucraniana de Kiev. Desde então, a arte musical de Brian May e Roger Taylor tem sido acompanhada pela proeza vocal e presença de palco de Adam Lambert, criando uma combinação explosiva.


Mais de 200 concertos depois, a parceria continua a ser um sucesso comercial e crítico, tocando perante plateias lotas em todos os cantos do mundo, com uma audiência total de quase quatro milhões. O álbum Live Around The World da banda, lançado em Outubro de 2020, forneceu aos Queen seu décimo álbum número 1 no Reino Unido e deu a Adam Lambert seu primeiro, liderando as tabelas em todo o mundo.


Roger Taylor disse: "Estamos todos absolutamente ansiosos para chegar lá e começar a encher novamente os pavilhões com os Queen. Tive a sorte de fazer uma digressão em Outubro passado para promover meu álbum Outsider, o que foi muito divertido, mas obviamente foi um passeio mais modesto. No entanto, tocar com os Queen é o verdadeiro negócio. Foi tão frustrante quando a Rhapsody Tour foi interrompida em Março de 2020, e parece que estamos suspensos desde então. Mas estou absolutamente feliz por meio milhão ou mais de pessoas que compraram bilhetes para esta parte da digressão terem mantido as suas entradas. A absoluta alegria de poder sair e conectar-me com milhares de pessoas (...)"


Brian May disse: "Só o pensamento de voltar à digressão é incrivelmente emocionante. Já posso sentir a tensão a aumentar! Há dois anos atrás, terminámos a etapa da nossa digressão na Austrália, que incluiu o concerto beneficente Fire Fight no ANZ Stadium em Sydney, perante frente de cerca de 75.000 pessoas. Foi como outro Live Aid e foi um dos melhores concerto que já tocamos. Então, estávamos num verdadeiro pico emocional depois disso. Tocámos nos Estados Unidos, Coreia, Japão, Nova Zelândia e Austrália – e então fomos diretos para o confinamento. Então, agora temos uma real obrigação de nos entregar-mos, depois de adiar essas datas duas vezes. Nós reunimos a equipa novamente. Não haverá compromissos. Este vai ser um concerto completo dos Queen. Não há nada parecido. Estamos todos muito animados para ver as reações das pessoas e superar as expectativas de todos."


Adam Lambert disse: "Estou tão ansioso para voltar ao palco! Foi incrivelmente frustrante para todos os músicos nos últimos dois anos, porque realmente vivemos para essa conexão física com o público. Tínhamos acabado de fazer uma incrível digressão pela América, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia, e estávamos todos prontos para tocar na Grã-Bretanha e na Europa, mas então o deu-se o confinamento. Eu tive muita sorte de fazer alguns concertos sozinho no ano passado – mas não há nada como estar em numa digressão de estádios e pavilhões com os Queen. É uma emoção e estou impaciente para chegar lá novamente."


Clicar aqui para as datas da digressão e links de bilhetes



Fonte: Queen Online