Queen The Greatest | EP 32: Queen nos Filmes - Take 2: Highlander


(Fotografia de: © Queen Productions Ltd.)


Queen The Greatest: uma celebração de 50 dos maiores momentos da história dos Queen até agora.


Uma série de 50 semanas no YouTube que celebra os momentos-chave da história dos Queen lembrando-nos o porquê da banda e da sua música continuarem a ser amadas em todo o mundo.


Bem-vindos ao segundo capítulo de "Queen nos Filmes", desta vez temos Highlander.

Depois do sucesso do seu primeiro álbum banda sonora, Flash Gordon, não faltaram ofertas para os Queen se envolverem noutros projectos de filmes. Nada despertou a sua imaginação, até que em 1986 o realizador Russell Mulcahy tentou uma aproximação com o seu novo projecto de filme Highlander, para ver se a banda se sentia tentada...


Russell Mulcahy: "Quando chegou a altura de realizar Highlander, pensei para comigo 'o filme precisa de uma grande, não apenas uma grande partitura de orquestração, mas precisa de uma grande partitura de rock'. Cortei vinte minutos do filme e levei-os comigo, e não sabia como eles iriam reagir. Eu só queria que eles fizessem uma música no filme. Viram a filmagem e disseram 'vamos fazer cinco músicas'."


Roger Taylor: Não, não sei o que o Russel a contactar-nos, mas disse 'venham a uma sala de exibição no Soho, vejam isto e vejam se gostam.' Fomos e vimos as cenas de abertura, e depois, penso que a cena romântica, nas Highlands, pensámos que era magnífico, visualmente. Bom, nessa altura ainda estava longe de terminado, e só pensámos: 'isto é muito bom, poderíamos fazer algumas coisas boas com isto'. E isso inspirou Brian a escrever Who Wants To Live Forever, e depois eu escrevi A Kind Of Magic a partir disso, novamente seguindo a frase do filme. E foi uma experiência muito boa."


Brian May: "Não sei se tu... Depende de até que até que ponto conheces o filme Highlander, mas é um filme sobre um homem que ganha consciência de que é imortal e está relutante em aceitar o facto. Disseram-lhe que se se apaixonar, terá um grande problema, mas é claro que acaba por se apaixonar e a mulher por quem ele se apaixona acaba por envelhecer e morrer nos seus braços. Isso abriu-me uma porta, estava a lidar com várias tragédias na minha própria vida, a morte do meu pai, a morte do casamento, etc,, etc., e consegui ouvir imediatamente a música Who Wants To Live Forever na minha cabeça. Tinha-a quase completa no carro, a caminho de casa, lembro-me de a ter cantado ao meu agente enquanto ele me levava a casa e ele ficou muito surpreendido. Disse-me: 'de onde veio isso?' e eu disse: 'nem sei de onde veio, mas consigo ouvi-la na minha cabeça'."

Ao contrário de “Flash”, os Queen decidiram não lançar um álbum de banda sonora, mas antes juntar as faixas de Highlander com outras músicas, como One Vision, Friends Will Be Friends e Pain Is So Close To Pleasure para criar um álbum completo dos Queen. A Kind Of Magic de 1986, o primeiro a ser lançado desde a aclamada performance do Live Aid. O álbum foi imediatamente N.º 1 no Reino Unido e deu à banda singles de sucesso com os temas do filme A Kind of Magic e Who Wants To Live Forever.


Depois juntaram-se, novamente, a Russell Mulcahy para fazer os vídeos promocionais do majestoso Princes of The Universe, e do fascinante A Kind Of Magic.


Roger Taylor: “Lembro-me de discutir isso com o Diretor Russel Mulcahy, no The Groucho Club e, sabes, de dizer como queremos que aconteçam pequenas coisas estranhas, como me lembro de querer gárgulas a piscar o olho e coisas assim, e ter essas coisas mágicas a voar por todo o lado. E creio que funcionou bem, não é pretensioso, e é bastante bom.


Nos anos seguintes, as cações dos Queen abrilhantaram uma série de filmes - mas a vez seguinte em que a banda forneceria uma banda sonora completa, mais de trinta anos depois, seria para um filme que eles próprios fariam - em breve, em Queen The Greatest.


Próxima semana: 1986 - Queen: The Magic Tour - Parte 1



Fonte: Queen Online